Músicas

My name is Augusto Bello Filho. I’m 66 years old and I’m retired. I am a composer and singer, and lately I have been dedicated to the gospel CD recently recorded, titled as “I will praise You” which is the name of one of the songs.

Help me in this ministry getting my songs. By doing so youu will be collaborating so that the message sung in praise and worship of God reaches people anywhere in the world. Thank you that is willing to invest in my CD “I WILL PRAISE YOU.

Anúncios
Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

What time is it?

Eu nunca imaginei que um dia estaria aqui na Inglaterra e ainda por cima na cidade que fez a bola da copa de 2010 (Lufbra) e que é uma bela cidade que se esconde atrás das árvores. Outro dia estive batendo bola com uns ingleses em um dos campos da Universidade. Todos campos são de gramado sintético. Uma maravilha. Eu estava com uma camisa amarela escrito Brasil no peito, foi antes de começar a Copa. Estava dentro do campo, mas fiquei próximo a entrada porque os campos são cercados por alambrados. As bolas vinham em minha direção quando eles erravam os chutes e eu fui chegando aos pouquinhos, aos pouquinhos, devolvendo as bolas para eles. A certa altura me fizeram sinal para participar do bate bola. Inicialmente cruzei bolas para eles cabecearem. Logo pús umas bolas na cabeça do melhor jogador dentre eles que cabeceava para o gol. Tentaram conversar comigo mas eu usei as minhas expressões favoritas. “I’m sorry”. “I don’t understand english, because I speak portuguese”. Mas um insistiu: “Are you from Brazil?” Respondi: “Yeah”. E perguntaram-me sobre os jogadores da seleçao para a copa. Falei o nome de alguns e comecei com Robinho. Então, um perguntou para o outro se conhecia ou se sabia quem era “Roabinho”. Achei engraçado. Tentei lembrar os nomes dos demais jogadores mas neste momento me deu um branco pq só lembrei de Kaká. A conversa encerrou-se eu não entendia o que eles falavam. Então, eu balançava a cabeça expressando que não sabia.

Nestes momentos em que eu não entendia o que eles me perguntavam me sentia impotente e frustrado. Gente, nao é mole não. Eu gosto de conversar. Então, eu gostaria de falar sobre o Brasil. E me sentia um analfabeto, só que ao inverso do analfabeto brasileiro que fala mal o português e não ler nada. Eu leio mal o inglês e não falo nada. Na verdade, falo poucas expressões e expressar idéias, pensamentos, fazer relatos é muito complicado, requer muito conhecimento do idioma e preparo, então sou praticamente zero. Falo algumas coisas sem às vezes usar os verbos, etc orações pela metade. Eles entendem mas é uma comunicaçao que deixa muito a desejar. Em que pese esta dificuldade para me expressar, nestes dois meses eu aprendi. O meu inglês melhorou. Vocabulário e pronúncia. Vi e ouvi o idioma na maior das adversidades. Estamos cercados pelo idioma por todo os lados.

Continuamos a bater bolas. Aí eles começaram a me respeitar mais a despeito da minha idade. Recordo de uma jogada que fiz, tipicamente brasileira, quando um deles cruzou uma bola alta que matei no peito e antes dela chegar ao chão bati de primeira e forte para o gol que obrigou o goleiro a tirar de soco. Ficaram me elogiando. “Very good, very good!” Fiquei feliz, pq consegui fazer uma boa jogada, principalmente como representante do Brasil, às vésperas de uma Copa do Mundo. Depois sugeri batermos penaltes que eles logo entenderam pq a palavra é originária daqui mesmo. O melhor deles estava no gol e pegou dois penaltes que bati. No terceiro pensei está na hora de eu acertar. Então, comecei a enganá-lo, gingado para um lado e batendo para o outro. A partir daí ele não pegou mais e me elogiaram novamente.

Depois de bater bola com estes três ingleses, eles foram embora e outros três mais jovens que estavam alí por perto nos observando se aproximaram de mim, talvez curiosos por causa da minha camisa.

Chamei eles para jogarmos com umas poucas palavras inglesas. Eles entenderam e começamos bater bolas e para descontrair eles, eu fui para o gol. Peguei algumas bolas e em seguida comecei a bater também para eles. Brincamos de bater penaltes e esta brincadeira eles não conheciam. Todos batem um série de penaltes para um que fica no gol até saber-se quem é melhor batedor. Depois o que ganhou vai para o gol e os outros batem novamente uma série até saber-se quem bate melhor novamente. Quando um está no gol os outros alternadamente batem uma série de penaltes. O que fizer mais gols é o vencedor. E assim, revezando os goleiros até todos pegarem no gol, etc. Ganhei duas vezes. Depois ensinei eles a jogar bobinho. E jogamos bobinho um tempão. Éramos quatro. Agora o interessante mesmo, era eu tentando explicar estas brincadeiras para eles em inglês e muitas vezes misturando com o português. Tinha vezes que eles deitavam no chão de tanto rir das coisas que eu falava e que soavam engraçadas e estranhas aos ouvidos deles. É uma experiência terrível. Vc desejando falar para ser entendido e não conseguir. E também, quando uma pessoa nos pede uma informação como aconteceu comigo quatro vezes enquanto estive em Lufbra. Três pessoas de carro querendo informações e um pedestre querendo saber as horas. Este, pedestre, não perguntou-me as horas como apredemos: “What time is it?”. Falava outra coisa que eu não entendia e estava com o braço engessado, batia neste braço e falava para mim novamente. Rapidamente, passou pela minha cabeça que ele estava pedindo esmola. Aí falei a expressão de sempre: “I don’t speak english”. Então, ele apontou para o o relógio no meu braço, foi aí que eu entendi que eram as horas que ele queria saber. Rapidamente levantei-me pq estava sentado em uma parada de ônibus e fui ao encontro dele, apontei o relógio e disse: “Thrirty two past twelve”. “Tank you”, disse ele e foi embora. Fiquei muito feliz.

Mas com toda dificuldade eu tenho me comunicado. Quando faço compras e medirijo ao caixa, eles sempre falam alguma coisa que eu não entendo, então vou logo dizendo que vou pagar com dinheiro ou com o cartão mostrando as Libras ou o cartão conforme o caso.

Aprendi a andar de ônibus. Quando entro tenho que falar para onde estou indo. Todo ônibus coletivo tem GPS e uma voz feminina vai falando: – “Next stop, Sharpley Road”. Dizendo que a próxima parada é na Sharpley Road (rua).

Ando a pé daqui de casa para o centro e vice-versa. Faço minhas caminhadas. Visito a Universidade, vou a Igreja etc. No último domingo fomos a uma Igreja e só ficamos sabendo que era Católica por causa da liturgia e do boletim da igreja. Os hinos belos, edificantes, um silêncio, adoração. Todos os músicos e alguns cantores de cabelos brancos  Poucos jovens. Não tinham imagens. Não usaram o nome de Maria. Não tinha Padre. Amáveis irmãos.

E voltando ao futebol, um senhor desta Igreja disse em conversa a Patrícia que eles gostariam de ter um professor de futebol brasileiro para os jovens da igreja e se Higor não aceitaria.

No mês de outubro virá um brasileiro ministrar nesta Igreja, era uma oportunidade para Patrícia ser a intérprete pq eles puseram no boletim que estão a procura de uma pessoa que fale portugês para tradutor. Mas, não sei se ela aceitaria pq é muito ocupada com a Universidade e com a família.

Por hoje é só. Veja algumas fotos da cidade.

Beijos.

(Este relato foi escrito em julho de 2010, antes da Copa do Mundo na África)

Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

O sabiá negro de U.K.

Tirei fotos do sabiá negro do Reinio Unido. Embora tenha sido de longe pq ele nunca me deixou chegar perto.

Gostaria de gravar o seu canto, mas será impossível, vai ficar em minha mente, pq toda as tardinhas quando ando escuto o seu canto por onde passo e aqui perto do prédio sempre cantam também. Seu canto é lindo. Este sabiá tem em todo o Reino Unido pq viajando para outras cidades e por onde quer que eu faça caminhadas sempre tem algum cantando. Ele canta sempre nos locais mais altos, no topo das casas, nas antenas de tv e no topo das árvores. Bem cedinho quando o dia começa a clarear por volta das 4 horas da manhã e à tardinha entre 7 e 9 horas da noite que aqui no verão ainda é dia ele sempre está cantando. Também anda pelo chão comendo insetos etc.

Lufbra fica próxima a Floresta Nacional, segundo Patrícia esta floresta nacional foi plantada pelo estado e até hoje eles continuam plantando árvores principalmente na periferia da cidade e nos espaços vazios. As árvores ao serem plantadas ficam amarradas a duas estacas uma em cada lateral, como pode ser vista na foto, para evitar que na época dos ventos fortes elas sejam arrancadas.

Aqui tem pouca diversidade de passaros. Eu só vi por aqui o sabiá, duas espécies de pombos, um que é do tamanho do nosso e outro bem maior, os pardais  e um pássaro preto, parecido com aquele que come o milharal na chácara, aí no Estado de Goiás e inclusive canta semelhante também e mais uns cinco ou seis pássaros diferentes destes, mas devem existir outros que eu não conheci.

Já vi um mico atravessando a pista aqui perto e vi um esquilo aqui junto ao prédio e lá no Parque Holywell onde Paty trabalha vimos diversos esquilos também.

Vi outro animal silvestre morto ao lado da rodovia quando eu estava fazendo caminhada mas não o reconheci.

Hugs and kisses,

Bello Filho

Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

Placas sinalizadoras no trânsito do Reino Unido

Esta semana fazem dois anos que viajei de volta da Inglaterra onde passei 70 dias. Lembrei-me das imagens que fiz quando lá estive com o intento de documentar os sinais de trânsito que vi, portanto compartilho com todos as fotos que tirei durante as minhas caminhadas e observações na cidade de Loughborough.

Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

Minha viagem de volta

Olá galera!

Tudo bem com vcs?

O meu voo do domingo saiu com atraso de meia hora. Voamos as 8:00 p.m. e chegamos à Lisboa às 10:20 p.m. Depois que passei na imigração e cheguei ao saguão de desembarque onde passei a noite já eram quase 11:00 p.m. Como não estava com a mala, que teria me atrapalhado demais, pq fiquei a noite toda andando para lá e para cá e fui ao banheiro diversas vezes. Foi terrível pq eu não posso ficar sem dormir nem que seja algumas horas pq eu fico muito agoniado como que estafado ou estressado com um mal estar terrível.

Me sentei nos bancos mas eram muito desconfortantes. Fui para um café e comprei uma garrafinha de água com gás pq estava com um pouco de azia. Graças a Deus melhorei logo da azia. Fiquei sentado em uma mesa e como estava calçado desde que saí de Lufbra, tirei o tênis e pús minha sandália havaiana que trouxe na sacola de mão, para descansar meus pés e preocupado também com má circulação do sangue nos pés. Vi que estava tudo bem.

Me arrumei para tirar um cochilo, mas não conseguia dormir. Outro viajante com malas e sacolas se assentou também em outra mesa perto de mim, mas ele dormiu mesmo, agarrado a sua mala. Devia estar com mais sono que eu.

Me levantei e já passava de meia noite e um outro café fechou e apagou as luzes, mas eu sabia que lá haviam duas poltronas uma de um lugar e outra de dois lugares. Fui para lá pq desde cedo eu já estava de olho neste lugar pq achava que dava para tirar um cochilo bom naquelas poltronas brancas e macias.

Pessoas chegavam de viagem, desciam a rampa que dá acesso ao saguão, encontravam seus parentes e pessoas que as esperavam e iam embora. E assim, foi, até que o movimento foi diminuindo até parar.

Passei pelo isolamento do café, entre peças que enfeitavam a plataforma e fui para a poltrona menor, me sentei, estiquei para lá e para cá. Ageitei a sacola para ajudar na acomodação, mas minutos depois vi que não dava certo. Eu tinha que deitar mesmo. Então,  fui para a maior e lá me acomodei melhor mas com as pernas encolhidas. Já passavam de uma hora da manhã e eu estava fazendo contas de quantas horas faltavam para eu ir para o portão de embarque. Praticamente 8 horas pq o embarque seria as 8:55 a.m. no dia que já havia chegado pq passava de zero hora (12/7 – segunda feira).

Policiais circulavam para lá e para cá desde cedo. O pessoal da limpeza estava trabalhando, uma máquina encerava o saguão. Ainda quando cochilava levantei os olhos e vi que ao lado da parede onde a poltrona estava encostada havia um policial de costas para mim. Senti confiança e alívio. Deus havia mandado um anjo. Acho que ele nem me viu, pq eu receava que algum policial me dissesse que eu teria que abandonar o local.

Alguns viajantes me olhavam de longe como que assustados. Um outro passageiro que passou a noite com as suas bagagens me olhou muito de longe, mas acho que embaraçado com as suas malas desistiu de vir também  para o local em que eu estava.

Eu dormi. Quando acordei eram 15 para as 5:00 da manhã, com o pessoal do café chegando. Olharam para mim ainda deitado. Logo, me sentei. Já estavam chegando novas pessoas para receberem o primeiro voo que se não me engado era pouco depois das 5 horas. E em seguida fui ao banheiro, escovar os dentes e lavar o rosto e espantar de vez o cançaço e o sono. Depois peguei o elevador para o saguão de embarque. Onde contei 90 guichês da TAP e pensei como é grande esta TAP.

Estava no terminal nº 1, onde haviam 49 gates (portões de embarque). Fiz um lanche e às 7 horas entrei para o novo embarque. Onde esperei por mais duas horas para voar. Novamente fui o primeiro a chegar no portão de meu voo. Estava forte, ansioso, apreensivo mas feliz, estava perto do voo.

O voo atrasou mais uma vez. Às 10:45 voamos naquela imensa máquina, com mais de 340 passageiros, com um peso incalculável. Era hora de voltar o pensamento aos céus para concluir. Gente, como pode algo tão pesado levantar voo como um pássaro. Arrancou com toda a potência, uma velocidade absurda. Estralou daqui, estralou dalí, balançou e subiu. A conclusão óbvia a que todo ser humano devia chegar. Eu disse para mim. Esta é uma prova. Deus existe. E orei dizendo Senhor, Tú que destes sabedoria ao homem para fazer tudo isto voar, segura-nos com a tua poderosa mão. Tem misericórdia de nós. E nos leva em paz para casa. O restante eu conto outra hora.

Beijos,

Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

Divisão Territorial da Inglaterra

Quando cheguei a Inglaterra fiquei curioso para saber como era a divisão do território. No Brasil estamos acostumados com a divisão do território brasileiro em estados. Assim, nós temos 27 estados no Brasil. Na Inglaterra eu vinha chamando de estados, mas sempre achei que havia alguma coisa estranha, daí à pesquisa foi só um passo e realmente a divisão do território inglês é em Distritos. Os distritos também podem ter status de “borough”, cidade ou “borough” real. Os distritos ingleses podem ser divididos em metropolitanos, não-metropolitanos, unidades autoritárias e “boroughs” de Londres. Os distritos por sua vez são subdivisões de Condados, então vejamos:

Distritos metropolitanos; Distritos não-metropolitanos; Autoridades unitárias; Boroughs de Londres.

Distritos metropolitanos:

Os distritos metropolitanos (metropolitan districts) são subdivisões dos condados metropolitanos.

Os 36 distritos metropolitanos são os seguintes:

Condado metropolitano Distritos metropolitanos
Grande Manchester Manchester, Bolton, Bury, Oldham, Rochdale, Salford, Stockport, Tameside, Trafford, Wigan
Merseyside Liverpool, Knowsley, Sefton, St Helens, Wirral
South Yorkshire Sheffield, Barnsley, Doncaster, Rotherham
Tyne e Wear Newcastle-upon-Tyne, Gateshead, South Tyneside, North Tyneside, Sunderland
West Midlands Birmingham, Coventry, Dudley, Sandwell, Solihull, Walsall, Wolverhampton
West Yorkshire Leeds, Bradford, Calderdale, Kirklees, Wakefield

Distritos não-metropolitanos

Os distritos não-metropolitanos (non-metropolitan districts) são subdivisões dos condados não-metropolitanos.

Os 284 distritos não-metropolitanos são os seguintes:

Condados não-metropolitanos Distritos não-metropolitanos (excluindo unidades autoritárias)
Bedfordshire BedfordMid BedfordshireSouth Bedfordshire
Buckinghamshire South BucksChilternWycombeAylesbury Vale
Cambridgeshire CambridgeSouth CambridgeshireHuntingdonshireFenlandEast Cambridgeshire
Cheshire Ellesmere Port e NestonChesterCrewe e NantwichCongletonMacclesfieldVale Royal
Cornwall PenwithKerrierCarrickRestormelCaradonNorth Cornwall
Cumbria Barrow-in-FurnessSouth LakelandCopelandAllerdaleEdenCarlisle
Derbyshire High PeakDerbyshire DalesSouth DerbyshireErewashAmber ValleyNorth East Derbyshire – Chesterfield – Bolsover
Devon Exeter – East Devon – Mid Devon – North Devon – Torridge – West Devon – South HamsTeignbridge
Dorset Weymouth e PortlandWest DorsetNorth DorsetPurbeckEast DorsetChristchurch
County Durham DurhamEasingtonSedgefieldTeesdaleWear ValleyDerwentsideChester-le-Street
East Sussex HastingsRotherWealdenEastbourneLewes
Essex HarlowEpping ForestBrentwoodBasildonCastle PointRochfordMaldonChelmsfordUttlesfordBraintreeColchesterTendring
Gloucestershire GloucesterTewkesburyCheltenhamCotswoldStroudForest of Dean
Hampshire GosportFarehamWinchesterHavantEast HampshireHartRushmoorBasingstoke e DeaneTest ValleyEastleighNew Forest
Hertfordshire Three RiversWatfordHertsmereWelwyn HatfieldBroxbourneEast HertfordshireStevenageNorth HertfordshireSt AlbansDacorum
Kent DartfordGraveshamSevenoaksTonbridge e MallingTunbridge WellsMaidstoneSwaleAshfordShepway – Canterbury – DoverThanet
Lancashire West LancashireChorleySouth RibbleFyldePrestonWyreLancasterRibble ValleyPendleBurnleyRossendaleHyndburn
Leicestershire CharnwoodMeltonHarboroughOadby e WigstonBlabyHinckley e BosworthNorth West Leicestershire
Lincolnshire LincolnNorth KestevenSouth KestevenSouth HollandBostonEast LindseyWest Lindsey
Norfolk NorwichSouth NorfolkGreat YarmouthBroadlandNorth NorfolkKing’s Lynn e West NorfolkBreckland
Northamptonshire South NorthamptonshireNorthamptonDaventryWellingboroughKetteringCorbyEast Northamptonshire
Northumberland Blyth ValleyWansbeckCastle MorpethTynedaleAlnwickBerwick-upon-Tweed
North Yorkshire SelbyHarrogateCravenRichmondshireHambletonRyedaleScarborough
Nottinghamshire RushcliffeBroxtoweAshfieldGedlingNewark e SherwoodMansfieldBassetlaw
Oxfordshire OxfordCherwell – South Oxfordshire – Vale of White Horse – West Oxfordshire
Shropshire North ShropshireOswestryShrewsbury e AtchamSouth ShropshireBridgnorth
Somerset South SomersetTaunton DeaneWest SomersetSedgemoorMendip
Staffordshire TamworthLichfieldCannock ChaseSouth StaffordshireStaffordNewcastle-under-LymeStaffordshire MoorlandsEast Staffordshire
Suffolk IpswichSuffolk CoastalWaveneyMid SuffolkBaberghSt EdmundsburyForest Heath
Surrey SpelthorneRunnymedeSurrey HeathWokingElmbridgeGuildfordWaverleyMole ValleyEpsom e EwellReigate e BansteadTandridge
Warwickshire North WarwickshireNuneaton e BedworthRugbyStratford-on-AvonWarwick
West Sussex WorthingArunChichesterHorshamCrawleyMid SussexAdur
Wiltshire Salisbury – West Wiltshire – Kennet – North Wiltshire
Worcestershire WorcesterMalvern HillsWyre ForestBromsgroveRedditchWychavon

Os boroughs de Londres (London boroughs) ou distritos de Londres são subdivisões da Grande Londres. Os 32 boroughs de Londres são os seguintes:

Grupo de boroughs Boroughs de Londres
Londres interna Camden | Greenwich | Hackney | Hammersmith e Fulham | Islington | Kensington e Chelsea | Lambeth | Lewisham | Southwark | Tower Hamlets | Wandsworth | Cidade de Westminster
Londres externa Barking e Dagenham | Barnet | Bexley | Brent | Bromley | Croydon | Ealing | Enfield | Haringey | Harrow | Havering | Hillingdon | Hounslow | Kingston upon Thames | Merton | Newham | Redbridge | Richmond upon Thames | Sutton | Waltham Forest
Autoridades unitárias – Autoridades unitárias são autoridades locais da Inglaterra e País de Gales, criadas pelo governo britânico em 1992, com funções governativas dentro das suas áreas.
Publicado em Uncategorized | 4 Comentários

United Kingdom Flowers

Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário