Primeira vez no buzú

 

Já tem dias que eu gostaria de ir ao centro da cidade de ônibus, mas ainda não tinha tomado esta decisão. Coisas que parecem simples aí, aqui é complexa. Primeiro, eu não tinha certeza se o “bus” fazia a linha para o centro, foram dias observando. Ele passa aqui junto ao prédio de meia em meia hora o dia todo. Aa noite ele não faz linha. Nunca o vi passar aa noite. Pois bem, na primeira tentativa de embarcar o buzú ia para o fim de linha que é aqui perto e eu não sabia. Quando disse que iria para o centro o motorista falou uma porção de coisas que só entendi que era para eu pegar o “bus” na volta. Saí e esperei o retorno e meio assustado embarquei. Paguei “one pound and fifity pencils”, traduzindo, 1 Libra e 50 pencils, que corresponde mais ou menos a R$ 4,05 reais. Para uma viagem curta achei cara a passagem. Agora, estes ônibus rodam praticamente vazios o dia todo. São confortáveis, limpos e bonitos. O motorista dirige e cobra dos passageiros, semelhante aos zebrinhas de Brasília.

A viagem foi tranquila mas ansiosa, pq eu não sabia o percurso que seria feito, mas acabou que quase a metade do percurso eu já conhecia de andar aa pé. Daqui no centro da cidade aa pé eu tenho feito em 40 minutos. Não é muito longe. Saltei em uma parada que eu já conhecia, andei pelo centro observando as lojas e suas faixas e letreiros em inglês traduzindo cada uma delas. O centro é muito bonito. Calçadões parecidos com uns que eu vi em Curitiba. Comprei algumas coisas no Supermercado Tesco, um dos maiores daqui. E por falar em Supermercado, vc sabia que vc pode pegar suas compras, ir a um caixa, passar suas compras e depois vc mesmo passa o cartão na máquina, paga e pega suas coisas põe nas sacolas e vai embora para casa, sem que alguém fiscalize ou verifique se seus procedimentos estão corretos? Pois é. Assim é o primeiro mundo. A honestidade acima de tudo. É incomum a prática da desonestidade, do roubo, da corrupção e da infâmia do jeitinho brasileiro que tanto nos humilha e envergonha em nosso país. Depois peguei o mesmo “bus” de volta e foi aí que vi e ouvi que ele é dotado de GPS e durante o percurso vai anunciando a próxima parada e o nome de cada rua que ele vai passando. Legal, não é? Uma maravilha. Sempre que entramos em um ônibus o motorista pergunta para onde vamos. Quando embarquei no Tower Centre (centro da cidade) o motorista parecia que já sabia qual era a minha rua pq me perguntou se eu iria para “Sharpley Road”, disse “yeah”. Fiquei imaginando que ele já havia me visto andando aqui na rua, não tem outra explicação.

Aproveito também o assunto para contar que outro dia eu tive a oportunidade de pela primeira vez abastecer um carro em um posto de gasolina, eu mesmo me servindo. Passamos em um posto para abastecer o carro de Paty. Então, ela me disse, nós mesmo é que abastecemos o carro. Abrimos a tampa do tanque. Peguei a mangueira na bomba e abasteci 40 Libras de gasolina. Reposta a mangueira na bomba, Paty foi dentro do posto e lá passou o cartão pagando. Eles já sabiam que foi abastecido 40 Libras de gasolina. Bom e diferente não é?. A gasolina aqui é mais cara de que no Brasil. No momento não estou lembrado quanto foi o litro, mas na próxima atualização deste texto vou informar.

Sobre bellofilho

Meu nome é Augusto. Eu tenho 66 anos e sou aposentado. Sou compositor e cantor e ultimamente tenho me dedicado ao CD gospel que recentemente gravei, intitulado por "Eu te louvarei" que é o nome de uma das músicas.
Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s